Voltar topo

Hollywood Icons inicia a sua digressão mundial em Julho de 2016

Marlene Dietrich por Eugene Robert Richee, 1932 | Charles Boyer por Robert Coburn, 1938 | Lana Turner por Madison Lacy, 1937 | Ava Gardner por Clarence Sinclair Bull, 1948

A Fundação John Kobal (Londres) e a Terra Esplêndida (Lisboa) têm o prazer de anunciar a exposição Hollywood Icons que iniciará a sua digressão mundial em Itália, com inauguração em Villa Manin (próximo de Veneza), em Julho de 2016, estando também já agendada para o Palazzo delle Esposizioni, em Roma, na Primavera de 2017.

Hollywood Icons apresenta uma antologia das grandes estrelas da era clássica de Hollywood, destacando o trabalho dos fotógrafos responsáveis pela criação das suas deslumbrantes imagens.

A exposição consiste numa mostra de 161 retratos dos maiores nomes da história do cinema, desde protagonistas de filmes mudos como Charlie Chaplin e Mary Pickford, passando por grandes nomes da era do cinema sonoro, como Marlene Dietrich e Cary Grant, e terminando com alguns dos gigantes do período pós-Guerra, como Marlon Brando, Paul Newman, Marilyn Monroe, Sophia Loren e Marcello Mastroianni.

A história do cinema é habitualmente escrita a partir do ponto de vista dos actores e realizadores, sendo dada pouca relevância ao enorme empreendimento que torna possível a criação de filmes para o grande ecrã. A exposição Hollywood Icons apresenta os fotógrafos – tão pouco aclamados – que, trabalhando silenciosamente nos bastidores, produziram fotografias cheias de glamour que se revelaram essenciais para a criação das estrelas de cinema e para a promoção dos filmes. Milhares de imagens distribuídas pelos estúdios de Hollywood durante os anos dourados do cinema foram fruto do esforço destes fotógrafos, que trabalhavam de forma rápida e eficaz, promovendo de forma brilhante o estilo de Hollywood em todo o mundo. Será justo afirmar que George Hurrell teve um papel fundamental na criação da empolgante presença de Joan Crawford no grande ecrã. O mesmo se pode dizer da indelével imagem de Garbo, criada no estúdio de fotografia de Ruth Harriet Louise. A presente exposição distingue o trabalho de mais de 50 fotógrafos, entre os quais Clarence Sinclair Bull, Eugene Robert Richee, Robert Coburn, William Walling, Jr., John Engstead, Elmer Fryer, Laszlo Willinger, A.L. “Whitey” Schafer e Ted Allan.

John Kobal compreendeu, melhor que ninguém, a importância destas imagens de Hollywood. Começou como entusiasta do cinema, foi jornalista, escritor e, antes da sua morte prematura em 1991, aos 51 anos, foi reconhecido como um dos mais notáveis historiadores de cinema. A sua reputação assenta, sobretudo, no seu trabalho pioneiro, através do qual ressuscitou a carreira de alguns destes mestres da fotografia da era clássica de Hollywood.

A partir do final da década de 60, Kobal promoveu a reunião destes artistas esquecidos com os seus negativos originais, encorajando-os a fazer novas ampliações fotográficas para exposições que o próprio organizou um pouco por todo o mundo, em espaços como o Victoria & Albert Museum e a National Portrait Gallery, em Londres, o Museum of Modern Art, em Nova Iorque, a National Portrait Gallery, em Washington DC, e o LA County Museum of Art, em Los Angeles.

Muitas destas imagens, juntamente com as fotografias vintage originais dos estúdios, pertencem à Fundação John Kobal e constituem o núcleo desta exposição que enaltece os mestres da fotografia do cinema clássico.

A exposição estará patente em Villa Manin entre Julho e Outubro de 2016 e no Palazzo delle Esposizioni, em Roma, entre Junho e Setembro de 2017.

Saiba mais sobre esta exposição AQUI

Subscrever Newsletter